Análise de Conjuntura dos Biocombustíveis 2017: Lei que cria a Política Nacional de Biocombustíveis (RenovaBio) é sancionada

Em 2017, mereceu destaque a promulgação da Política Nacional de Biocombustíveis (RenovaBio), cujo objetivo é reconhecer o papel estratégico dos biocombustíveis na matriz energética brasileira, com relação à segurança do abastecimento e à mitigação das emissões de gases causadores do efeito estufa no setor de combustíveis.

Esta edição da Análise de Conjuntura dos Biocombustíveis mostra que a combinação de diversos fatores proporcionou uma contração do setor sucroenergético em 2017: o processamento da cana foi de 636 milhões de toneladas, 5,3% inferior ao ano anterior. A queda do preço médio do açúcar no mercado internacional reduziu a atratividade para sua produção, que caiu 2%, atingindo 38,1 milhões de toneladas. Os volumes produzidos de etanol também diminuíram, totalizando 27,7 bilhões de litros, queda de 3,2%. O documento descreve o primeiro saldo negativo na balança comercial deste biocombustível.

O ano de 2017 apresentou o primeiro aumento no licenciamento anual de veículos leves, após um período de quatro quedas consecutivas. Neste ano, a relação entre os preços médios do etanol hidratado e da gasolina C (PE/PG) manteve-se desfavorável ao biocombustível em vários estados, com a razão média nacional estável em 71%. Desta forma, enquanto o consumo de gasolina C cresceu 4%, subindo a 44,3 bilhões de litros, a demanda do etanol hidratado decresceu 7%, alcançando 14,5 bilhões de litros, o que resultou em um aumento na demanda total do ciclo Otto de 2%.

A bioeletricidade proveniente das usinas do setor sucroenergético injetada no SIN manteve-se no mesmo patamar com 2,4 GWméd em 2017, 0,9% superior a 2016.

As emissões evitadas pelo uso de etanol, biodiesel e bioeletricidade da cana em 2017 foram de 47 MtCO2eq, 10 MtCO2eq e 3 MtCO2eq, respectivamente, somando 60 MtCO2eq.

Em relação ao biodiesel, o percentual mandatório foi elevado para 8% em março de 2017. O teor de 10% foi antecipado em um ano, vigente desde março de 2018. Sua produção foi de 4,3 bilhões de litros, 13% superior a 2016.

Esta edição também apresenta um artigo que trata sobre a Política Nacional dos Biocombustíveis (RenovaBio), seus objetivos, possíveis desdobramentos e os trabalhos desenvolvidos pela EPE com vistas a subsidiar o MME. O documento descreve de que forma as ações da EPE buscam cooperar para o êxito dessa importante política pública. A previsibilidade de longo prazo para o setor de biocombustíveis dependerá do adequado balanceamento das metas de descarbonização para os agentes de mercado de combustíveis e para a sociedade civil como um todo.

A nona edição da Análise de Conjuntura dos Biocombustíveis da Empresa de Pesquisa Energética – EPE está disponível no link:

Análise de Conjuntura dos Biocombustíveis


Notícias Relacionadas

INFORME Mercado Internacional de GNL 2017-2018

03/09/2018 - O mercado de GNL tem se mostrado cada vez mais dinâmico, com maior liquidez e tendendo à comoditização. Assim como no ano anterior, em 2017, expectativas de uma oferta excedente do combustível no mundo acabaram por não se concretizar, sendo compensada pelo concomitante aumento na demanda de GNL da China. A capacidade de se adequar às condições adversas de mercado vem demonstrando a maturidade cada vez maior da indústria de GNL.

EPE publica compilação de Correlações de Custos de Equipamentos – Instalações Industriais de Gás Natural

27/08/2018 - A Empresa de Pesquisa Energética – EPE disponibiliza documento contendo a compilação de diversas correlações de custos encontradas na literatura, referentes a equipamentos de instalações industriais relacionadas ao gás natural.

EPE Participa do 49º Congresso Brasileiro de Geologia

22/08/2018 - O 49º Congresso Brasileiro de Geologia (49 CBG) está sendo realizado entre os dias 20 a 24 de agosto de 2018, na Cidade do Rio de Janeiro, no Centro de Convenções Sul América, com o objetivo de integrar a academia, empresas, profissionais e, também, a sociedade, através da realização de palestras, discussões, cursos e eventos paralelos na área de Geologia e Geociências, incluindo os Simpósios de Vulcanismo e Ambientes Associados e do Cretáceo do Brasil.

Estudo sobre a Economicidade do Aproveitamento dos Resíduos Sólidos Urbanos em Aterro para Produção de Biometano

20/08/2018 - No ano de 2014, a EPE publicou conjunto de estudos sobre aproveitamento energético de Resíduos Sólidos Urbanos (RSU). As notas técnicas DEA 16/14 e 18/14 intituladas respectivamente “Economicidade e Competitividade do Aproveitamento Energético dos Resíduos Sólidos Urbanos” e “Inventário Energético dos Resíduos Sólidos Urbanos” buscaram analisar as possibilidades de aproveitamento energético dos resíduos sólidos urbanos. Na ocasião, as rotas tecnológicas consideradas para quantificação foram a incineração e a produção de biogás em biodigestores anaeróbios.

EPE realizou o evento de lançamento da nona edição da Análise de Conjuntura dos Biocombustíveis

17/08/2018 - Na manhã do dia 07 de agosto de 2018, a EPE realizou o evento de lançamento da nona edição da Análise de Conjuntura dos Biocombustíveis, em seu Escritório Central, no Rio de Janeiro. A publicação do documento “Análise de Conjuntura dos Biocombustíveis” tem como objetivo abordar os fatos mais relevantes ocorridos no ano de 2017 na área de Biocombustíveis no país.