Resenha Mensal - O consumo de eletricidade na rede totalizou 40.318 GWh em novembro, com variação de +1,3% em relação ao mesmo mês de 2017

O consumo de eletricidade na rede totalizou 40.318 GWh em novembro, com variação de +1,3% em relação ao mesmo mês de 2017.

Conforme as regiões geográficas, houve crescimento no Nordeste (+5,2%), no Sudeste (+0,8%), no Sul (+3,1%) e no Centro-Oeste (+1,1%) e retração no Norte (-8,1%). Dentre as principais classes de consumo, os destaques em novembro foram a residencial e a comercial, ambas com alta de 1,5%. Houve progressos na classe indústria (+1,1%) e nas outras classes (+1,1%).

O mercado cativo das distribuidoras apresentou retração de 0,7% em novembro e de  1,5% em 12 meses, enquanto o consumo livre aumentou 5,5% no mês e 7,1% em 12 meses.

Clique no link para acessar a Resenha Mensal de Dezembro

Infográfico Resenha Dezembro_18 (002).png

Notícias Relacionadas

Previsão de Carga para o Planejamento Anual da Operação Energética Ciclo 2019 (2019-2023)

11/01/2019 - O documento tem por objetivo apresentar o detalhamento das premissas e dos resultados da Previsão de carga para o Planejamento Anual da Operação Energética 2019-2023, elaborados em conjunto por Empresa de Pesquisa Energética – EPE, Operador Nacional do Sistema Elétrico - ONS e Câmara de Comercialização de Energia Elétrica – CCEE, antecipados no correspondente Boletim Técnico, divulgado no final do mês de novembro de 2019. Essas previsões de carga passaram a ser utilizadas a partir do Programa Mensal da Operação (PMO) de janeiro/2019.

Thiago Barral, Diretor de estudos Econômicos, Energéticos e Ambientais da EPE, concedeu entrevista à Band News

02/01/2019 - Em entrevista a Band News o Diretor de estudos Econômicos, Energéticos e Ambientais, Thiago Barral, fala sobre o aumento no consumo de energia elétrica por aparelhos de ar condicionado.

Agenda Internacional: Atividades e Resultados em 2018 são apresentados pela EPE

21/12/2018 - A EPE criou em 2018 sua área internacional (Núcleo de Coordenação da Agenda Internacional), como forma de fortalecer e coordenar a atuação da empresa junto a entidades, parceiros e iniciativas internacionais, em linha com o Planejamento Estratégico. Buscou-se, assim, aperfeiçoar a articulação institucional e orientar os esforços de forma eficiente. Privilegiando a transparência pública, o resultado desse esforço está apresentado no relatório que a EPE disponibiliza no link abaixo, com os principais destaques da atuação da EPE na agenda internacional. Estão identificados os principais parceiros, temáticas e atividades desempenhadas ao longo de 2018, resultando em 30 ações de capacitação, 19 apresentações feitas no exterior e mais de 45 reuniões/eventos com parceiros internacionais no Brasil, com destaque para os temas de energias renováveis, eficiência energética, biocombustíveis, gás natural e energia nuclear.

Uso de Ar Condicionado no Setor Residencial Brasileiro: Perspectivas e contribuições para o avanço em eficiência energética

14/12/2018 - A energia utilizada para o conforto térmico é o uso final em edifícios que mais cresce no mundo. No Brasil, apenas no setor residencial, estima-se que a posse de ar-condicionado pelas famílias tenha mais que duplicado entre 2005 e 2017. Apesar do grande impulso das vendas na última década, a penetração desse tipo de aparelho ainda é relativamente baixa nas residências brasileiras, sugerindo a existência de uma demanda potencial por condicionamento de ar que deverá ser atendida no futuro.

EPE publica estudos de levantamento de dados de eficiência energética na indústria brasileira

12/12/2018 - No sentido de fortalecer a disponibilidade dados primários para o planejamento de ações de promoção de eficiência energética, a EPE publica os resultados de estudo de levantamento de dados sobre diversos setores industriais. Trata-se de estudo denominado “Análise da Eficiência Energética em Segmentos Industriais Selecionados”, que se insere no âmbito do Projeto META (Projeto de Assistência Técnica dos Setores de Energia e Mineral), com financiamento do Banco Mundial. A execução foi descentralizada do MME para EPE.